Cores: como o seu uso correto pode te ajudar a valorizar seu imóvel?

Cores: como o seu uso correto pode te ajudar a valorizar seu imóvel?

Está prestes a vender um imóvel e não sabe como conquistar a simpatia da imobiliária ou avaliador?

Pois saiba que apesar de existirem critérios difíceis de serem alterados, como a localidade do mesmo, existem outros fatores que você pode sim intervir a fim de chegar a um valor mais alto na avaliação imobiliária.

Um deles é o uso de cores de maneira estratégica, dentro e fora do imóvel.

As cores podem causar uma melhor impressão na hora de vender através de “truques” que fazem a casa parecer maior, mais nova e até mesmo mais segura!

Confira nossas dicas e torne seu imóvel ainda mais atraente:

Cores que mudam a percepção do espaço da casa

            Um dos critérios levados em consideração na avaliação do imóvel é a área quadrada do mesmo. Ainda que ele seja um critério quantitativo, pois o imóvel é medido de maneira precisa com uma trena, existem truques que podem fazer cômodos parecerem maiores (ou menores!) de maneira a atrair a atenção de potenciais compradores, e realizando uma venda mais rápida.

            Para alongar visualmente um cômodo quadrado, utilize cores claras, como branco, amarelo ou palha, assim como jogos de luz e espelhos. Cômodos pequenos com mobília grande podem parecer maiores se as paredes forem pintadas com base na cor desses móveis. O truque serve para camuflar essas peças no espaço, tornando-as mais discretos no plano de fundo.

Já se o seu objetivo é reduzir um cômodo muito grande para esconder o fato, por exemplo, do mesmo não possuir muita mobília, ou para torná-lo mais quadrado e simétrico, pinte as duas menores paredes com tons escuros, dando a ideia de proximidade, e as paredes mais compridas com cores claras, para ampliar e gerar contraste.

Veja também: Passo a passo: como pintar uma parede

            Essa mesma estratégia pode ser aplicada para tetos. Caso o pé-direito da residência seja muito alto, invista em um teto escuro, dando a sensação de um ambiente mais aconchegante e acolhedor. Se o pé-direito não é alto o suficiente, pinte-o de branco, alongando a percepção de espaço entre as paredes.

Cores que fazem sua casa parecer mais nova

            Mais uma vez, a idade do imóvel também é um critério levado em consideração na hora da realização de uma avaliação imobiliária. Nesse caso, mais do que a data de construção do imóvel gravada na escritura, o olhar sob o aspecto arquitetônico e o cuidado com o qual o dono tratou o imóvel têm um grande peso.

E quando nós falamos em cuidado e idade do imóvel, as cores são bastante relevantes! Isso porque uma fachada mal pintada, ou pior, com cores desbotadas, denuncia a falta de cuidado do dono logo na entrada da casa. Às vezes, o imóvel pode ser relativamente novo, mas como está mal cuidado, acaba passando uma imagem de mais velho do que realmente é.

            Tintas vibrantes das famílias dos vermelhos, amarelos, laranjas e roxos possuem grande concentração de corante de origem orgânica, que são mais facilmente degradados pela ação dos raios ultravioletas. Logo, desbotam mais rápido e precisam de retoques e manutenções com frequência. Sugere-se que o uso de cores intensas fique restrito a apenas alguns elementos de destaque da fachada.

Cores claras ou pastéis são bem-vindas em áreas externas, pois possuem pouca quantidade de corante. Por outro lado, tons de pêssego e o rosa queimado podem parecer sujos e até mesmo desbotados quando aplicados em espaços com pouca iluminação. Caso opte pelos tons pastéis, evite escolher tintas que possuam subtons marrons, amarelos ou cinzas.

            Lembre-se também que a fachada da casa é onde devemos usar os melhores produtos, pois ela receberá a ação do clima de forma direta, todos os dias. Essa dica é especialmente relevante se você quer vender ou comprar um imóvel na praia, em cidades que ficam em regiões tropicais com chuvas constantes durante todas as estações do ano.

Aposte em tintas de linhas premium, com pigmentos de qualidade elevada, cuja avaliação de solidez à luz possua nota igual ou próxima a 8, significado de “excelente resistência”. Essa avaliação quanto à solidez às intempéries é realizada pelas marcas de tintas e semelhante à avaliação de solidez à luz, porém mais severa pois julga também a ação do tempo, bem como do sol, chuva e poeira.

Cores que auxiliam na questão de segurança

Também falando de fachada de imóveis, a escolha da cor pode ser decisiva para garantir a segurança da sua casa. Você sabia que estudos das cores já mostraram que casas pintadas de azul claro são consideradas como as que mais aparentam ser fáceis de assaltar, mesmo com aparatos de segurança? O mesmo serve para fachadas em tons de rosa e lilás. E a cor que promete maior sofisticação e poder, o preto, costuma afastar ladrões, pois dá impressão de segurança e força. Ainda assim, tem representação dúbia, pois pode atrair tristeza e depressão.

A dica para contornar os efeitos negativos das cores na fachada da casa, afastando ladrões mas recebendo de braços abertos amigos e família, é a combinação de elementos coloridos e escuros com detalhes de metal, seja no portão ou no interfone. Tenha também plantas e terra na porta de casa, seja uma árvore, arbusto ou grama.

Cores que geram redução de energia

Um fator que não é necessariamente critério para avaliação imobiliária, mas poderá ajudar você e o próximo comprador a reduzir despesas quanto a energia é o uso de cores que absorvem menos calor e propagam a luz natural dentro da residência. O uso de certas tonalidades claras, tanto em ambientes fechados quanto em fachadas, leva a uma redução no uso de equipamentos de climatização e de luzes artificiais, resultando num consumo de energia menor no fim do mês.

As cores que mais absorvem calor são as de tonalidade escura como preto, que absorve 98% do calor solar que chega à superfície, seguida do cinza escuro (90%), verde escuro (79%), azul escuro (77%), amarelo escuro, marrom e vermelho escuro (70%). Entre as cores que menos absorvem calor estão o branco (20%), amarelo-claro, pérola, marfim (28%), palha (30%), branco gelo (33%) e azul-claro (35%). Esses resultados são provenientes de uma análise realizada na tese de doutorado da aluna Kelen Almeida Dornelles, do Programa de Pós Graduação em Engenharia Civil da Universidade Estadual de Campinas (Unicamp) levando em conta as cores de fachadas mais comuns entre imóveis brasileiros.

2 Replies to “Cores: como o seu uso correto pode te ajudar a valorizar seu imóvel?”

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *