Morar no Lago Norte é bom?

Saiba como é morar no Lago Norte e conheça mais sobre a região.

Fundado em janeiro de 1984, o Lago Norte é a 18º Região Administrativa do Distrito Federal. Antes conhecida como Península Norte, a região mudou seu nome para um que correspondesse à região vizinha, Lago Sul.

O setor de mansões do Lago Norte se divide entre quadras do lago (QL) e quadras internas (QI). Além disso, fazem parte da região o aglomerado urbano Taquari, e Centro de Atividades e núcleos rurais.

Próximo ao Plano Piloto, a RA XVIII se destaca pela sua qualidade de vida, sendo um dos locais mais seguros do DF para morar. Além disso, o Índice de Desenvolvimento Humano (IDH) do Lago Norte é de 0,933.

O que você irá ver neste Texto


Caracterização da População Urbana

O Lago Norte possui 37.455 habitantes. Dentro disso, 51,17% são mulheres e 48,83% são homens. Em relação à faixa etária, os indivíduos de 25 a 39 anos representam 30,07%.

Já em relação ao estado civil, a maior parte da população é casada ou está em uma união estável (57,51%). Logo após, estão os solteiros, que correspondem 33,16%. Já os divorciados ou separados somam 5,92%.


Migração

Segundo o PDAD, 58,70% dos residentes são imigrantes, e o principal estado de origem é Minas Gerais (22,80%).

E, como em outras regiões administrativas, o motivo de mudança da maioria dos migrantes foi acompanhar parentes (49,68%), seguido pela procura de trabalho, com 35,28%.


Características dos Domicílios

O Lago Norte possui 12.161 domicílios, e a média de moradores por residência é de 3,08. Existem 8.513 casas e 3.454 apartamentos na região. Já no Portal DF Imóveis, você encontrar 605 imóveis para vender e 95 para alugar.


Tempo de Moradia

Os moradores que residem em um período de tempo entre 1 e 5 anos estão em maior número, com 28,90%. Em seguida, o tempo de moradia de 15 a 24 anos somam 23,44%, e entre 25 ou mais, 20,52%.


Instrução e Trabalho

O índice de instrução da população é considerado alto. A taxa de alfabetização é de 99,68%. Além do mais, 42,23% dos habitantes possui ensino superior completo.

A parcela dos moradores que não estudam chega aos 79,09%. Enquanto isso, 11,82% da população estuda em escola pública, e 8,90% em instituição particular.

Em relação ao trabalho, 51,90% possuem atividade remunerada, e a principal área de atuação é o comércio (20,56%). Em contrapartida, 1,15% não possui atividade remunerada e 23,62% representam os aposentados.


Renda Familiar e Renda Per Capita

A renda familiar média da população do Lago Norte é de R$ 12.599,00. Já a renda per capita chega aos R$ 4.736,75.


Educação

A região conta 1 Centro de Ensino Fundamental, 1 Centro Educacional e 2 Escolas Classes. Além disso, colégios particulares, como a rede COC, estão presentes na RA.


Transporte

O principal meio de transporte dos moradores do Lago Norte é o automóvel (79,19%). O local não possui estações de metrô, mas conta com 28 linhas de ônibus para atender os 6,94% dos habitantes que utilizam ônibus.


Saúde

A RA XVIII possui 1 Centro de Saúde público, localizado na QI 03 do Setor de Habitações. E, ainda, a região possui clínicas e hospitais, como o Hospital de Reabilitação da Rede Sarah.


Cultura e Lazer

No contexto de cultura e lazer, o Lago Norte possui várias opções. Além do Iguatemi Brasília, que possui salas de cinema e restaurantes como o Outback, Pobre Juan e Gero.

E, ainda, o Deck Norte conta lojas, restaurantes e até mesmo galerias de arte, como o Espaço da Arte, o The Gallery e o Espaço Multicultural.

Fora dos shoppings, é possível fazer um passeio no Parque das Garças também, onde é possível reunir a família para fazer um piquenique; ou praticar esportes, como o Stand Up Paddle.

Referências:



Parque da Cidade: ponto de encontro dos brasilienses

O Parque da Cidade é o melhor lugar de Brasília?

Se você gosta de estar em contato com áreas verdes, praticar atividades físicas e esportes ao ar livre, o Parque da Cidade é o melhor lugar de Brasília.

Acredita-se que todo brasiliense já deve ter passado algum período do dia no Parque da Cidade. Talvez para encontrar os amigos, jogar futebol, andar de bicicleta ou simplesmente caminhar pelo parque.

Parque da Cidade - Brasilia - DF. Reprodução/Autor: LeaLTudo

Reprodução/Autor: LeaLTudo

Ponto de encontro da capital 

O Parque da Cidade, conhecido formalmente como Parque da Cidade Sarah Kubitschek, é o espaço multiuso de Brasília, com áreas de lazer e diversão para toda a família. Fundado em 11 de outubro de 1978, é o maior parque urbano do mundo, com mais de 420 hectares.

Além de estar em contato direto com a natureza, o parque possui:

  • mais de 14 quadras poliesportivas;
  • 5 quadras de tênis de concreto
  • 5 quadras de vôlei de areia, aliás é palco do circuito brasileiro de vôlei de praia da etapa Brasília;
  • 2 quadras de futevôlei;
  • 9 campos de futebol;
  • 5 PEC (Ponto de Encontro Comunitário);
  • 4 CIM (Circuitos Inteligente de Malhação);
  • área com aproximadamente 50 churrasqueiras (individuais e duplas);
  • 6 parques infantis;
  • 1 pista de skate;
  • 10 quilômetros de ciclovia no anel interno do parque para pedestres;
  • 1 pista de cooper mais pista para ciclistas, totalizando 10 quilômetros;
  • 1 lago artificial;
  • 1 centro hípico

Espaço multiuso

Entre os parques infantis, tem o Parque Ana Lídia, onde os pais podem deixar a criançada se divertir à vontade. Já para adolescentes e adultos, que gostam de adrenalina, o Parque de Diversões Nicolândia tem diversas máquinas e brinquedos que animam as emoções do público.

Para quem gosta de pilotar, é possível sentir um pouco dessa experiência no Circuito de Kart, que também está no Parque da Cidade. O espaço é pago, porém a diversão é garantida.  

O parque também é palco de eventos e shows tradicionais da capital, reunindo milhares de pessoas em várias épocas do ano. Inclusive, há estabelecimentos comerciais como quiosques e restaurantes, distribuídos pelo parque.

Sendo um dos espaços mais belos da capital federal, é comum ver produções de ensaios fotográficos no local. Além de ter sido cenário para vários filmes locais e à nível nacional, como o longa-metragem “Somos Tão Jovens”, que sintetiza a vida e carreira do cantor Renato Russo, da banda Legião Urbana.

O Parque da Cidade está localizado no centro do Plano Piloto, no lado sul. Por perto estão as regiões administrativas do Cruzeiro, Sudoeste, Octogonal e a Asa Sul.

Quer saber mais sobre Brasília? Acompanhe o nosso Portal DF Imóveis.

5 dicas para encontrar o imóvel ideal para aluguel de temporada

Confira as dicas do Portal DF Imóveis para você fechar seu contrato de temporada.

Em época de férias, a procura por aluguel de temporada aumenta consideravelmente. E, com isso, dentro de um planejamento da viagem, a escolha do imóvel ideal deve estar incluso. Veja as 5 dicas que separamos para você:

Faça um contrato

Não importa quanto tempo você vai ficar no local, o contrato que garante a sua segurança na hora de fechar um negócio. Seja para definir datas e valores, ou para ter a garantia de que o imóvel está dentro dos padrões esperados.

E, ainda, vale a pena estar de acordo com o locador sobre o seguro do imóvel, caso alguma mobília ou até mesmo a estrutura do imóvel necessite de reparos.

Confira se todos os equipamentos e serviços oferecidos realmente estão inclusos

Além de ter um contrato em mãos, observe todas as condições do imóvel. Certamente, a casa/apartamento possui mobília e eletrodomésticos.

Assim como no caso de apartamentos mobiliados, é importante ficar atento ao estado das mobílias – isso é uma garantia tanto para o locador, quanto para o locatário.

Pesquise os preços

Compare os preços e veja qual imóvel atende o que você deseja. Filtre por número de quartos, faixa de preço, região e outros detalhes do imóvel. Tudo isso é possível em nosso sistema de busca. Clique aqui e confira.

Conheça a região

Pesquise sobre o bairro. Veja como é o comércio local, trânsito e quais são os meios de transporte mais utilizados, por exemplo. Confira seu cronograma de viagem e quais lugares deseja visitar, assim, você pode decidir por uma região com fácil acesso ao seu itinerário.

Para saber mais sobre Brasília, você pode acessar matérias do blog para conhecer as regiões administrativas e decidir onde alugar seu imóvel de temporada.

Reserve com antecedência

Não deixe para fechar o contrato em cima da hora. Além de seguir todas as dicas acima, é importante definir um prazo para se planejar antes da viagem e, até mesmo, economizar.

No período de férias a procura por imóveis é muito maior e, com isso, as ofertas acabam rapidamente. Por isso, pesquise, compare os preços, e garanta suas férias com tranquilidade e economia.

Morar no Jardim Botânico é bom?

Saiba como é morar no Cruzeiro e conheça mais sobre a região.

Criada em agosto de 2004, através da Lei nº 3.435, o Jardim Botânico é a 27º Região Administrativa do Distrito Federal. O nome da região deriva da área de preservação ambiental, próxima ao Lago Sul.

Mas, antes de se tornar região administrativa, o Jardim Botânico já havia se tornado um bairro, através do Decreto 20.881, em áreas que pertenciam a São Sebastião.

A região é composta por condomínios fechados e horizontais, localizados entre as RA’s Lago Sul e São Sebastião. A cerca de 20 km do Plano Piloto, além de se destacar por sua localização, o Jardim Botânico fica próximo da área de preservação ambiental; com toda a riqueza em fauna e flora do Cerrado, garantindo a qualidade de vida dos moradores.

O que você irá ver neste Texto


Caracterização da População Urbana

Na última Pesquisa Distrital por Amostra de Domicílios (PDAD), verificou-se que a região administrativa possui 27.364 habitantes. Desse número, 51,71% da população é composta por mulheres, enquanto os homens representam 48,29%.

O grupo dos que possuem entre 40 e 59 anos representa 30,76% da população da região, enquanto isso, 21,36% possui de 25 a 39 anos.

Já em relação ao estado civil, o grupo predominante é de casados ou em união estável (54,44%), seguido pelos solteiros (34,75%) e os habitantes divorciados ou separados, que representam 6,92% da população.


Migração

Dentre os habitantes da RA, 84,97% vieram de outro estado para morar no Distrito Federal. O principal estado de origem é Minas Gerais.

O principal motivo da mudança é acompanhar parentes (57,47%), seguido pelos que chegaram à procura de trabalho, que representam 30,81% da população.


Características dos Domicílios

A região é composta, basicamente, por condomínios fechados. Existem 8.172 domicílios na região, e a média de moradores por domicílios é de 3,35. O Jardim Botânico possui 8.041 casa e 131 apartamentos.

Dentre os imóveis, estão presentes no Portal DF Imóveis 777 domicílios à venda, e 71 casas e apartamentos para alugar.


Tempo de Moradia

A maior parte da população da RA XXVII mora na região entre 1 a 5 anos (28,66%), enquanto 24% dos moradores residem no Jardim Botânico num período de 10 a 14 anos. Dentre os habitantes, 76,30% morou anteriormente em outra RA.


Instrução e Trabalho

O índice de instrução dos moradores do Jardim Botânico é considerado alto. A taxa de alfabetização chega aos 99,52%. Além do mais, a maior parte da população possui ensino superior completo (34,88%).

Ainda assim, 73,66% dos moradores não estudam. Dentre os que estudam, 14,49% frequentam escolas públicas, enquanto 11,79% estão matriculados em instituições privadas.

Em relação ao trabalho, 51,22% possui atividade remunerada. Enquanto isso, a taxa de desemprego representa 1,54% da população. Já a porcentagem de moradores idosos chega aos 17,66%.


Renda Familiar e Renda Per Capita

A renda familiar média do Jardim Botânico é de R$ 12.457,43. Enquanto isso, a renda per capita alcança o valor de R$ 3.390,39.


Educação

A construção de instituições públicas de ensino ainda estão em processo de aprovação e construção, portanto, não há escolas públicas no Jardim Botânico.

No entanto, a rede de colégios COC, a Escola Classe Jardim Botânico, o colégio NDII e a Casa Verde – Jardim Pequizeiro, são algumas das instituições particulares da RA.


Transporte

O Jardim Botânico não possui estações de metrô, e o principal meio de transporte é o automóvel, utilizado por 79,07% da população. No entanto, a população conta com 28 linhas de ônibus para se deslocarem.


Saúde

A região administrativa não possui hospitais e postos de saúde públicos. Mas o local conta com algumas clínicas médicas, como o Centro Médico Gardem.


Segurança

O Jardim Botânico possui apenas 1 Posto Comunitário de Segurança. No entanto, há a 30º Delegacia de Polícia, localizada em São Sebastião.


Acesse o Portal DF Imóveis e conheça os imóveis da região

Referências:

Saiba tudo sobre o PLC 132/2017: Lei de Uso e Ocupação do Solo

Na primeira semana do ano, a Redação Final do Projeto de Lei Complementar 132/2017 foi publicada no Diário da Câmara Legislativa.

O PLC trata sobre a Lei de Uso de Ocupação do Solo (LUOS) e será encaminhada ao Governador do Distrito Federal. Ibaneis Rocha terá o prazo de até 15 dias úteis para sancioná-la.

A lei complementa o Plano Diretor de Ordenamento Territorial (PDOT), instrumento que orienta os agentes públicos e privados para regular a política territorial e a gestão das localidades urbanas no Distrito Federal.

Já a LUOS tem como objetivo controlar as conjunturas urbanísticas da capital. E, inicialmente, ela deve ser uma transição da base normativa de uso e ocupação do solo. Posteriormete, ela será uma base normativa única para cada segmento de ocupação.

A lei estava em debate há sete anos e, no dia 11 de dezembro, foi aprovada pela Câmara Legislativa. Além disso, o projeto de lei complementar passou pelas Comissões de Assuntos Fundiários, de Meio Ambiente, de Constituição e Justiça, de Economia, Orçamento e Finanças antes chegar ao plenário. Além do mais, a população deve contribuir para a contribuição destas leis.

Especificações da lei

Os critérios da LUOS são determinados para os lotes e projeções protocolado em cartório de registro de imóveis competente, e/ou implantados e aprovados pelo poder público. A Macrozona Rural e a Macrozona de Proteção Integral estão excluídas das disposições da Lei Complementar.

A vizinhança, segundo o projeto, se define a partir do incômodo das atividades econômicas para o conjunto dos moradores. São elas: segurança, logística de atividades, poluição ambiental, atmosférica, sonora ou visual, sistema viário e afluxo de pessoas ou veículos.

Confira abaixo os mapas de Uso do Solo em cada Região Administrativa do Distrito Federal, segundo a Secretaria de Estado de Gestão do Território e Habitação (Segeth):

Quais são as mudanças?

Além de simplificar as normas de ocupação e uso do solo, o PLC traz regularidade à região, atualiza os critérios de vaga, automatiza o licenciamento de atividades e oferece transparência ativa.

Por fim, a revisão da lei, que poderia acontecer em um tempo mínimo de cinco anos, foi alterada. Assim, o Governador Ibaneis Rocha, pode conferir o texto do PLC 132/2017 logo no início de seu mandato.

Para saber mais informações sobre o que é a Lei de Uso e Ocupação do Solo e quais são mudanças, caso a lei seja sancionada, acesse o site da Segeth.

Referências:

Entre Curvas: Carla Ramos e Tatiana Estrela contam sobre a mudança no estilo de vida e na arquitetura de Brasília

“Mais do que um estilo, meu objetivo é sempre tentar estar na fronteira da inovação”. – Zaha Hadid

Nesta edição da série Entre Curvas, o Portal DF Imóveis traz a arquitetas Carla Ramos e Tatiana Estrela, da Mais Arquitetura, para falar sobre as tendências da arquitetura e da cultura brasileira. Além de discutir sobre quais são as influências da história de Brasília para os projetos arquitetônicos residenciais.

Formadas em Arquitetura e Urbanismo na Universidade de Brasília (UnB), Carla e Tatiana se juntaram-se, em 2013, para desenvolver projetos corporativos, comerciais e, principalmente, residenciais.

Carla Ramos conta sobre sua escolha que, influenciada por sua irmã, também arquiteta, decidiu optar pelo curso de Arquitetura ao invés de Engenharia Civil. Já Tatiana Estrela, nascida em uma família de arquitetos, afirma que a genética da família voltada para a arte também a influenciou na decisão.

Além da 5º arte, Tatiana conta sobre seu interesse pelas outras artes, além de história e antropologia, que também são influentes em sua carreira, e até mesmo na própria arquitetura “Desde que o homem é homem ele já praticou a arquitetura, construindo seu abrigo, por exemplo”, conta Estrela.

Influências da Arquitetura

Já durante a graduação, Carla fala sobre como o estilo de Oscar Niemeyer, tão presente em Brasília, foi influente em sua formação. “Acho fui muito influenciada por isso, com essas linhas retas, por exemplo, que agora até são tendência”, e completa Ramos, “Existem outros? Sim. Mas eu acho que, por estarmos em Brasília, e na UnB, e tendo estudado muito a história do Oscar Niemeyer, isso é uma influência muito grande também na formação da gente”.

Tatiana também cita alguns arquitetos que ela admirava, como Zaha Hadid, Mises Van der Rohe e Santiago Calatrava, “Eu nunca me interessei muito pela arquitetura modernista, eu sempre buscava coisas mais futuristas”, conta a arquiteta. Mas, ainda, ela afirma que sempre buscou agregar o máximo de informação e, além do modernismo, encontrava inspirações na escolas clássicas e românticas, por exemplo.

Tendências da arquitetura residencial

Com as mudanças do estilo de vida brasileiro, se tornando cada vez mais sustentável e prático, os projetos residenciais se espelham nessa nova cultura. Assim, casas com cômodos funcionais e integrados, com menos gastos, fazem parte da proposta das novas residências. “Eu não diria que seja modernista, mas moderno”, observa Tatiana.

Além disso, o uso de materiais naturais e mais rústicos também fazem parte da tendência, como concreto, madeira, pedra e vidro, por exemplo, “Faz parte dessa arquitetura mais limpa”, e acrescenta Carla, “Casas muito grandes, que exigem que você tenha funcionários, hoje em dia já está sendo uma coisa que as pessoas estão evitando”.

Tatiana comenta também sobre o significado do lar com a mudança que, com os antigos ideais de construção, na qual era preciso de funcionários e uma gestão melhor para a casa. “Você deixa de ter um lar, uma casa, e você passa a ter uma empresa, por conta da quantidade de pessoas que você tem que contratar para dar manutenção”, explica Estrela.

Expectativas do cliente

No caso do escritório de Carla e Tatiana, não há um produto para vender, e a prioridade é atender a expectativa do cliente. Mais do que seguir tendências, concretizar o desejo do cliente é o principal foco das arquitetas. Tatiana explica, “Por mais que a gente tenha uma responsabilidade em cima do projeto, é nosso dever tentar materializar os sonhos dos nossos clientes. Ele tem que entrar na casa dele e sentir que é o lar dele”.

Além do mais, Carla conta sobre a facilidade de pesquisa atualmente, que ajuda as arquitetas na hora de entender a expectativa do cliente que deseja seguir outros padrões arquitetônicos, “É o nosso foco? Não. Mas a gente faz a pesquisa para atender”, conta Carla.

Assim como o racionalismo, o minimalismo na arquitetura de Mises Van der Rohe foi marcante em seu trabalho. E, assim, o arquiteto afirmava “Arquitetura é a vontade do tempo traduzida no espaço”.

Morar no Cruzeiro é bom?

Saiba como é morar no Cruzeiro e conheça mais sobre a região.

A Região Administrativa XI, o Cruzeiro, nasceu com a chegada de funcionários vindos do Rio de Janeiro na Fazenda Bananal, nos anos 50, durante a construção de Brasília. Assim como o Plano Piloto, a região foi planejada a partir do projeto do urbanista Lúcio Costa.

O atual Cruzeiro Velho foi concebido como o Setor de Residências Econômicas Sul (SRES) e, depois, se tornou vizinho do Cruzeiro Novo, Área Octogonal Sul e o Setor de Habitações Coletivas Sudoeste (SHCSW), todos fazendo parte do Cruzeiro até então. Mas, atualmente, a RA é formada pelo Cruzeiro Novo e Velho.

Em 1992, a região foi tombada como Patrimônio Histórico e Artístico da Humanidade, pelo IPHAN – Instituto de Patrimônio Histórico e Artístico Nacional.

A 8 quilômetros de Brasília, a região administrativa é uma das principais escolhas para quem trabalha no Plano Piloto. Além de estar próximo dos comércios do Sudoeste e da Octogonal (atual RA XXII), sua localização se torna privilegiada pela proximidade ao Parque da Cidade Sarah Kubitschek, ao Terraço Shopping, Casa Park e ParkShopping.

O que você irá ver neste texto:


Caracterização da População Urbana

A população da RA é composta por 33.539 habitantes, estimada para 2016. Com isso, 45,34% dos moradores são homens, enquanto 54,66% são mulheres.

O grupo dos que possuem entre 40 e 59 anos representa 26,8% da população da região, enquanto isso, 24,53% possui de 25 a 39 anos.  

Além do mais, em relação ao estado civil dos habitantes, o grupo predominante é o de casados, ou em união estável, que representam 42,27%. Seguido por eles, estão os solteiros (33,66%) e divorciados ou separados (4,38%).


Migração

A população possui um número maior de imigrantes (57,73%) do que de nascidos na região (42,27%). E mesmo com sua raiz carioca, os imigrantes que residem na RA são predominantes dos estados de Minas Gerais (14,36%), seguido pelo Rio de Janeiro (14,01%) e Goiás (11,64%).

E, ainda, o principal motivo da mudança dos habitantes foi acompanhar parentes, com 59,99%. Em seguida, a procura por trabalho representa 29,84% da população que se mudou para a RA.


Características dos Domicílios

O local possui cerca de 10.939 domicílios urbanos e, considerando o número de habitantes (33.539), a média de moradores por domicílios é de 3,07. No Portal DF Imóveis, estão disponíveis 159 casas e apartamentos para venda e 19 para aluguel.


Tempo de moradia

Assim como outras regiões administrativas mais tradicionais, a população reside há 25 anos ou mais no local (40,18%), número próximo ao Guará.


Instrução e trabalho

O índice de instrução na região administrativa é alto, na qual 27,49% da população possui ensino médio completo, e 28,02% possui ensino superior completo. Além disso, o índice de alfabetização chega aos 99,35%.

Na região administrativa 77,62% da população não estuda; dentre os estudam (22,38%), 10,25% frequenta escola particulares, enquanto 12,13% frequenta escolas públicas.

Em relação ao trabalho, 49,62% da população tem atividade remunerada, 13,75% são estudantes e 19,10% são aposentados. Além disso, dentre os que trabalham, 37,96% se encontra na área de Administração Pública Federal e Distrital.


Renda Familiar e Renda Per Capita

A RA XI possui a renda familiar média de R$ 7.797,00, enquanto a renda per capita alcança o valor de R$ 2.725,23.


Educação

O local possui um Jardim de Infância, 3 Escolas Classe, 2 Centros de Ensino Fundamental e 2 Centros Educacionais, com unidades no Cruzeiro Novo e Velho.


Transporte

Mesmo sem estações de metrô, a RA possui cerca de 34 linhas de ônibus disponíveis. No entanto, 60, 31% utilizam o próprio veículo para se locomover, enquanto 17,48% utilizam ônibus.


Saúde

A região administrativa possui dois Centros de Saúde, localizados no Cruzeiro Velho e Cruzeiro Novo.


Segurança

Na SRES – Setor de Residências Econômicas Sul, localizado no Cruzeiro Velho, se encontra a 3º Delegacia de Polícia.


Cultura e Lazer

Além da Biblioteca Pública do Cruzeiro, a Associação Recreativa Cultural Unidos do Cruzeiro (ARUC) também integra as ações culturais na região, atuando na área de esportes e do carnaval brasiliense. O clube é o maior campeão dos desfiles de escolas de samba do Distrito Federal, além de possuir times de futebol, futsal, futebol de areia e handebol.

Referências:

Tendências do design para você apostar em 2019

Mais um fim de ano chegou e as expectativas para o próximo ano carregam mais intensidade. No mundo do design de interiores, uma das notícias mais esperadas são as cores tendência anunciadas pela Pantone.

Living Coral

Então, em 2019, dentre as tendências do design, está a cor do ano da Pantone. Desta vez, a aposta é o Living Coral (16-1546).

Mas por quê? Bom, com o Ultra Violet (18-3838) que a Pantone apresentou, foi determinado que, desta vez, a cor trouxesse um alimento emocional, mais caloroso e confortável. A cor roxa, no entanto, carrega o significado de espiritualidade, mistério e magia. Por sua vez, a cor rosa vem para trazer a suavidade, delicadeza, familiaridade e diversão.

Salão do Móvel de Milão

Com isso, o Portal DF Imóveis trouxe algumas ideias do Salão do Móvel de Milão de 2018, com ambientes decorados seguindo a paleta de cores do Living Coral.

Fotos: Casa Vogue Brasil

Eco-friendly

Além do tons pastéis e corais, elementos verde, ligados à natureza, e móveis de madeira também são algumas sugestões para se inspirar na decoração em 2019. Assim, seja no escritório ou na sala de estar e jantar em casa, as cadeiras e poltronas podem funcionar como elementos chave ao dar pontos de cor na decoração minimalista.

Móveis Curvos

Popular nos anos 60, os móveis curvos voltaram a causar impactos no design contemporâneo. Portanto, eles servem como elementos chave para quebrar as rígidas linhas das construções convencionais e de outros móveis do ambiente.

E, ainda, em posts anteriores, nosso portal trouxe sugestões de móveis curvos para ousar na decoração, que vale também na hora de buscar mais tendências para o próximo ano.

Acesse o Portal DF Imóveis e escolha seu imóvel para decorar!

Clima de Brasília: mistérios e belezas

O clima misterioso de Brasília

Quem mora em Brasília já se acostumou com as mudanças climáticas na capital, sem compreender o porquê de ser tão variado.

Chuva e frio, depois sol e calor, mais tarde frio e neblina… esses são os cenários que podem ser encontrados durante o dia na capital. Outra característica comum é ver a chuva se aproximar no lado norte e, ao olhar o lado sul, o céu está ensolarado. Mas não estranhe, o clima de Brasília é assim mesmo.    

A capital está localizada na região geográfica conhecida como Planalto Central, com uma altitude de 1.160 metros acima do nível do mar, tendo o Cerrado como bioma predominante.

A classificação do clima de Brasília é tropical com estações úmidas e secas, conhecido também como ‘clima de savana’. Durante o ano, há duas estações: verão de chuva entre os meses de outubro e abril, e inverno seco no mês de maio até setembro. A temperatura média anual é cerca de 21⁰C, chegando até 30⁰C em setembro e aos 12⁰C nas madrugadas de inverno de julho.

Quer saber quando faz frio, calor e chove? Confira a lista da temperatura de Brasília:

  • Setembro e outubro são os meses mais quentes.
  • Junho e julho são os meses mais frios.
  • De outubro até abril é o período chuvoso.
  • De maio até setembro é o período seco.

Períodos de seca

Em Brasília, o que marca o calor é a seca da região, por conta da baixa umidade do ar. Diferente de outros estados, onde as altas temperaturas são mais constantes no verão.  

O Mar de Brasília

Brasília é conhecida por ter o Mar do Planalto Central. Isso porque o céu da capital é muito mais claro do que outros lugares. Esse fenômeno favorece o pôr do sol daqui,  um dos mais belos do mundo na época da seca.

Ipês

Mesmo com as mudanças climáticas incomuns ao longo do dia e das estações do ano de Brasília, os ipês trazem beleza nas áreas verdes da capital. Os ipês começam a florescer na seca e, como eles têm cores diferentes, cada um tem seu período para aparecer:

  • o ipê-roxo em maio;
  • o amarelo durante junho até agosto;
  • o branco surge em agosto;
  • e o rosa anuncia o final da seca em setembro e o início do período das chuvas no mês de outubro.

Períodos chuvosos

Não precisa se preocupar com os períodos de chuva em Brasília. Diferente de outros estados que chovem de um a três dias seguidos, a capital tem chuvas de curta duração durante o dia. Apenas à noite e na madrugada a chuva tende a se prolongar mais.

Gostou do clima de Brasília? Viva o clima de Brasília morando na capital federal. Saiba mais no nosso Portal DF Imóveis.

Morar em Taguatinga é bom?

Saiba como é morar em Taguatinga e conheça mais sobre a região.

Taguatinga pode ser considerada uma das regiões mais auto-suficientes de Brasília. É possível viver na cidade sem precisar se locomover constantemente para outras áreas da capital. Por ter a estrutura educacional, saúde pública, transporte e segurança pública próprias, a III terceira Região Administrativa é quase uma cidade independente.  

A história da III RA começa em 1970, quando o ex-governador Hélio Prates da Silveira, reconheceu Taguatinga como uma das cidades Brasília. Localizada a 19 quilômetros de do Plano Piloto, a região possui a terceira maior população da capital, e a área vem crescendo cada vez mais.

O que você irá ver neste Texto


Caracterização da População Urbana

Taguatinga possui cerca de 222.598 moradores,de acordo com a pesquisa divulgada em 2015 pela Companhia de Planejamento do Distrito Federal (CODEPLAN).

A faixa etária de destaque na região é de 25 a 39 anos e de 40 a 59 anos formando quase a metade da população. Atrás, estão os habitantes de 0 a 24 anos que somam 29% do público. E, por último, os de 60 anos ou mais, com 22%.


Migração

Inicialmente, a região de Taguatinga possuía algumas terras que eram administradas pelo município de Luziânia-GO. Depois de seis meses, com o surgimento de novos habitantes, a região administrativa já estava em desenvolvimento.

Taguatinga teve índices consideráveis de novos moradores desde a década de 60 até hoje. Com destaques nas décadas de 60, 70 e depois dos anos 2000.

Acompanhar os parentes que iriam se mudar para Brasília, e à procura por trabalho na nova capital do Brasil foram as principais razões da mudança para Taguatinga.


Características dos Domicílios

Visto que a população de Taguatinga é de aproximadamente 222 mil habitantes e atualmente há quase 70 mil domicílios, a média de moradores por moradia é de 3,19 pessoas.  

Dentre os domicílios da região, o Portal DF Imóveis possui mais de 1 mil imóveis para venda e 172 casas e apartamentos para aluguel.


Tempo de Moradia

Por ser uma região antiga da capital, a maioria da população reside há mais de 25 anos em Taguatinga (48%). Mas, ainda é presente o público com menos de 5 anos na cidade.

Dentro da população de Taguatinga, apenas 29% morou anteriormente em outra região administrativa.


Instrução e Trabalho

É umas das regiões com o índice de instrução médio. Os que possuem ensino médio completo configuram 26,74%. Já os que possuem ensino superior completo (graduação, especialização, mestrado e doutorado) somam 22,11%.

A grande maioria da população não frequenta instituições de ensino. Os que ainda estudam somam 24% do público dentro das escolas de ensino público e privado. E a taxa da alfabetização representa 98,52% da população.

Ainda, os estudantes que frequentam escolas em Taguatinga somam 81,04%, enquanto 11,03% estudam no Plano Piloto.

Além disso, 46,71% exerce alguma atividade remunerada. Já o restante está dividido entre aposentados, estudantes e desempregados.

A Região Administrativa possui uma taxa de desemprego que chega a 8%. Enquanto que no quesito ocupação do público da região tem-se destaque nos setores de Comércio, Serviços Gerais e Serviços Pessoais.

Dentro da População em Idade Ativa – PIA quase 40% contribui para previdência pública ou privada. Por outro lado, 49% não contribuem. Mas, há os que trabalham, porém não contribuem, que formam 9%.

41% dos moradores de Taguatinga exercem suas atividades remuneradas dentro da região. Outra parte do público tem seu trabalho no Plano Piloto.


Renda familiar e renda per capita

A população de Taguatinga possui uma renda familiar média de R$ 6.072,92, que representa 6,36 salários mínimos. Assim, a parcela que tem de 2 a 5 salários mínimos configura 34,93%, seguida dos 25,62% que recebem de 5 a 10 salários mínimos.


Educação

A estrutura educacional pública é composta pelas seguintes instituições, que abrangem todos os níveis do ensino regular, ou seja, desde o maternal até o ensino médio.

A região conta com 14 Escolas Classes, 11 Centros de Ensino Fundamental, 3 Centros de Ensino Médio, 3 Centro de Educação Infantil, 5 Centros Educacionais e uma Escola Bilíngue.


Transporte

Sendo o ônibus coletivo e o metrô os meios de transporte usuais do setor, 32% da população utiliza-os. Um grupo maior possui veículo próprio e usa-o diariamente para se locomover pela região. 

Taguatinga também possui o metrô como um dos meios de transporte públicos da localidade, com destino para o Plano Piloto, Ceilândia e Samambaia. Atualmente, há duas estações em funcionamento: Praça do Relógio e Taguatinga Sul.

Além disso, ônibus coletivos compõem a mobilidade urbana da cidade, administrado pelas empresas: Urbe, São José, Marechal e Piracicabana, que oferecem itinerários para outras regiões do Distrito Federal com bom fluxo.


Segurança

No quesito segurança, Taguatinga é uma área que possui policiamento público ativo.

Entre os departamentos de segurança pública, estão 2 postos de atendimentos do DETRAN (um deles vinculado ao Na Hora), 4 departamentos policiais – entre eles, o posto policial do Hospital Regional de Taguatinga, o 2º Batalhão da Polícia Militar, o Comando de Policiamento Regional Oeste, o 2º Grupamento de Bombeiro Militar e a Diretoria de Inativos e Pensionistas.


Saúde

Além do Hospital Regional de Taguatinga, a região possui 7 Centros de Saúde, 1 Clínica da Família e 1 Posto de Saúde Urbano. A região também conta com várias clínicas e hospitais particulares.


Cultura e Lazer

Taguatinga também é um dos principais pontos de cultura e lazer de Brasília. São eventos musicais, esportivos e de arte que compõem a programação da cidade.

A região é tradicional por receber espetáculos de teatro em diferentes pontos da região. Um dos principais é o Centro Cultural Sesi que, nas quartas e quintas-feiras, tem atrações de peças e musicais.

No esporte, Taguatinga recebe as partidas de vôlei oficiais da Superliga Feminina. Tendo o Brasília Vôlei como time representante do Distrito Federal e anfitrião dos jogos realizados na capital.

Lazer e bem-estar também tem espaço certo em Taguatinga. O Parque de Taguatinga, conhecido como TaguaParque, está disponível aos moradores praticarem suas atividades físicas, caminhada e outros exercícios.

As programações noturnas não estão fora das atrações da cidade. Casas de show e pubs chamam a atenção de quem gosta de se divertir à noite. Existem ambientes para todos os gostos e estilos.

Entre os centros comerciais com os maiores fluxos de pessoas estão o Taguatinga Shopping e o Alameda Shopping. Sem esquecer das avenidas comerciais norte e sul que cortam a cidade com diversos estabelecimentos. Outro ponto conhecido e bastante movimentado pelos moradores é a Feira dos Goianos, onde há grande variedade de objetos de casa, roupas, calçados e outros.

Gostou de Taguatinga? Encontre seu imóvel através do Portal DF Imóveis.

Referências: