• 26 de outubro de 2021
  • Last Update 26 de outubro de 2021

Aumento da Selic para 6,25% movimenta mercado em prol de melhores alternativas para investir

Em anúncio feito pelo COPOM em setembro de 2021 com reajuste de um ponto percentual na SELIC leva investidores a repensar carteira de investimento em meio ao cenário econômico brasileiro. Cenário pautado na incidência de repasse de juros para os consumidores, incertezas por conta da proximidade com período eleitoral, crise hídrica.

Caminhos existentes para investimento

Existem duas modalidades para buscar rentabilidade através de investimento são elas chamadas Renda Fixa e Renda Variável e elas se subdividem como você pode ver a seguir:

A principal diferença está na regra de rendimento da aplicação. Enquanto renda fixa tem seus valores de rendimento previamente definido a venda variável dando previsão para o investidor que aplicar nessa opções a renda variável acompanha o “humor” do mercado podendo render muitas vezes mais que a renda fixa ou não.

Com taxa SELIC anunciada sob valor de 6,25% investidores migram parte dos investimentos em renda variável para renda fixa acompanhando o momento atual e seguindo a máxima de que Inflação está em alta devido ao aumento da SELIC o melhor caminho é Investimento em Renda fixa com rendimento pós-fixado; já quando a Inflação apresenta queda e SELIC der sinais de queda, o melhor caminho é Investimento em Renda fixa com rendimento pré-fixado;

Momento atual: Rendimento pós-fixado

Essa é a tendência para o momento visto que existe um cenário de incerteza com aumento de juros a palavra que define essa modalidade de investimento é defesa de patrimônio assim as aplicações pós-fixadas garantem que o dinheiro do investidor não perca o seu valor ou renda menos que determinados alguns indexadores (Taxa Selic, CDI e IPCA).

A seguir alguns investimentos com versões pós-fixadas e uma explicação base sobre o que representam:

Tesouro Selic: É um título público do governo cuja rentabilidade está atrelada à taxa básica de juros da economia, a taxa Selic.

Tesouro IPCA: É um título público que tem sua rentabilidade atrelada ao principal índice de inflação no Brasil, além de uma taxa pré-fixada

CDB: Certificado de Depósito Bancário. Esses títulos nominativos são vendidos como forma de captação de recursos. Funcionam como um empréstimo que o investidor faz a um Banco em troca de uma remuneração

LCI e LCA: Letra de Crédito Imobiliário e Letra de Crédito do Agronegócio: títulos de Renda Fixa emitidos por uma instituição financeira utilizados para financiar as atividades do mercado imobiliário e do agronegócio.

LC: Letra de Câmbio são títulos nominativos vendidos como forma de captação de recursos. Funcionam como um empréstimo que o investidor faz a uma Financeira em troca de uma remuneração

Debêntures: Representam um empréstimo que só pode ser emitido por sociedades anônimas não-financeiras.Esse empréstimo assegura aos seus titulares o direito de crédito e os títulos são utilizados para financiamento de novos projetos, pagamento de dívidas e aumento do capital de giro.

Previsão para o mercado Imobiliário

É previsto que nos próximos meses a Selic continue apresentando aumentos para equilibro da economia, consolidando que investimentos em rendimento pós-fixado continue sendo o caminho até que a economia de sinais de queda na inflação e redução da taxa Selic. Para combater o aumento gradual da taxa Selic no mercado Imobiliário Caixa anunciou dia 16/09 redução na taxa de juros para financiamento imobiliário mantendo o ritmo na concessão de crédito, contribuição valiosa para o momento atual.

Buscou, achou. Encontre os melhores imóveis para Comprar ou Alugar no Portal DFimoveis.com

Related Articles

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *