• 17 de junho de 2024
  • Last Update 17 de junho de 2024

Previna acidentes com animais peçonhentos

Estamos entrando em um dos períodos  com maior risco de acidentes envolvendo animais peçonhentos.  A partir desse mês de setembro, dados históricos indicam  aumento nos casos de acidentes com escorpiões, serpentes aranha as lagartas e abelhas. Descubra com nossa redação formas de prevenir esses acidentes e procedimentos em caso de ocorrência.

Estamos saindo do período de estiagem com tempo mais seco, maio a agosto, e  estamos entrando em um período chuvoso de temperaturas mais altas. Essa mudança do clima tem impacto no comportamento de várias espécies, inclusive animais que possuem veneno. Pois são espécies que procuram abrigo da chuva e calor. É importante saber disso inclusive para preservação da vida desses animais,  optando pelo manejo adequado. 

Chuvas, Fonte: NOAA
Tempeturas, Fonte: NOAA

As Maiores Taxas de Ocorrências no DF

Distrito Federal apresenta ocorrências diversas espécies relacionadas animais peçonhentos Escorpiões, cobras,  aranhas, lagartas  e abelhas. Mas são os escorpiões que mais preocupam, 77,7 das ocorrências de 2020 foram envolvendo o artrópode 1.857 para ser exato. 

Fonte: SINAN – Dados acessados em 19/04/2021. Sujeitos à alteração 

É muto importante saber que a principal espécie de escorpião presente DF é a do escorpião amarelo (Tityus serrulatus), Considerado um dos mais venenosos, veneno com ação neurotóxica, maior risco para crianças e idosos. 

E Por que tantos casos?

Além de fatores climáticos, a falta de sistemas de saneamento, ausência de  manutenção o e coleta de resíduos colaboram para  proliferação de dos animais. Abaixo vamos deixar algumas dicas de como manter o ambiente particular livre de  riscos.

  • Não depositar ou acumular lixo, entulho e materiais de construção junto às habitações.  
  • Evitar que plantas trepadeiras se encostem às casas e que folhagens entrem pelo telhado ou pelo forro.  
  • Limpar regularmente móveis, cortinas, quadros, cantos de parede e terrenos baldios (sempre com uso de equipamentos de proteção individual – EPI).  
  • Vedar frestas e buracos em paredes, assoalhos, forros e rodapés.  
  • Utilizar telas, vedantes ou sacos de areia em portas, janelas e ralos.  
  • Manter limpos os locais próximos das residências, jardins, quintais, paióis e celeiros.  Controlar roedores existentes na área e combater insetos, principalmente baratas (são alimentos para escorpiões e aranhas).  
  • Inspecionar calçados, roupas, toalhas de banho e de rosto, roupas de cama, panos de chão e tapetes, antes de usá-los.  
  • Afastar camas e berços das paredes e evitar pendurar roupas fora de armários.

Protocolo básico em caso de Acidente

SAMU 192
Corpo de Bombeiros 193
Primeiras orientações Ligue: 0800 644-6774 (Assistência Toxicológica 24h)
Aparecimento e acidentes com animais peçonhentos ligue: 160 e 2017-1344

  • Lave bem o local da picada com bastante água e sabão, mantenha o membro acometido elevado e procure atendimento médico imediatamente.  
  • Informe ao profissional de saúde o máximo possível de características do animal, como: tipo de animal, cor, tamanho, entre outras.  
  • Se for possível e seguro capturar o animal, leve-o junto para ser identificado.
  • Em acidentes nas extremidades do corpo, como braços, mãos, pernas e pés, retire acessórios que possam levar à piora do quadro clínico, como anéis, fitas amarradas e calçados apertados.  
  • Não faça, em hipótese alguma, torniquete ou garrote e, muito menos, não fure, não corte e/ou não aplique qualquer tipo de substancia (pó de café, álcool, pomadas, fumo ou urina no local da picada, entre outros) no local da picada.  
  • Não tome nem aplique bebidas alcoólicas no local.  
  • Não tente “chupar o veneno”, essa ação apenas aumenta as chances de infecção local.

 Lista de Hospitais que realizam Atendimento com Antidoto

Related Articles