Morar no Guará é bom?

Morar no Guará é bom?

O Guará é a 10º região administrativa do Distrito Federal. Assim, a RA carrega a história de quem chegou à cidade nos anos 50 e construiu sua história na capital.

A população de longa data mostra sua conexão com o espaço. Hoje, seu desenvolvimento reflete na qualidade de vida de quem vive no local. E, ainda, na oportunidade de quem pensa em se mudar para investir ou economizar com o novo imóvel.

Em 1967, o Guará surgiu com a construção de 800 casas para os funcionários da Novacap – Companhia Urbanizadora da Nova Capital, feita em mutirão pelos próprios trabalhadores. Já em 1989, através do Decreto 11921, foi criada a RA X – Guará.

Desde o início, com o mutirão para construir a região administrativa, o Guará traz na história a união de diversas famílias que mantêm suas tradições e guardam boas memórias.

Dessa forma, filhos e netos mantêm as relações de amizade sempre próximas. Ruas e jardins mostram como a atividade comunitária se tornou quase uma atividade familiar no decorrer do tempo. E os novos moradores se integram nesse espaço para construírem sua história também.

Veja abaixo algumas informações que separamos para você saber como é morar no Guará.

O que você irá ver neste Texto


Caracterização da População Urbana

O Guará possui, aproximadamente, 132.685 habitantes, de acordo com a pesquisa da Companhia de Planejamento do Distrito Federal (CODEPLAN), divulgada em 2016.

As faixas de etárias de destaque na região são de 25 a 39 anos e de 40 a 59 anos por terem percentuais parecidos, em torno de 26% cada. Em seguida, estão os moradores entre 0 a 24 anos, que formam 27%. E, por último, os habitantes de 60 anos ou mais, com 20%.



Migração

Os três estados com maior predominância de imigrantes no Guará são: Minas Gerais (21,97%), Goiás (14,62%) e Rio de Janeiro (7,53%). E o principal motivo da mudança foi acompanhar parentes (57,78%)

O Guará recebeu uma grande quantidade de novos moradores, nas décadas de 60, 70 e, só mais tarde, nos anos 2000. Além disso, o tempo de moradia de parte dos habitantes é de 25 anos ou mais (35,27%).

Acompanhando o marido durante a construção de Brasília, a aposentada Maria Ires Belarmino, de 73 anos, lembra da construção do Guará: “No início, nós chegamos aqui e tínhamos muita esperança. Cada casa era construída junto ao sonho de quem veio para cá”, lembra a moradora que está no Guará há 43 anos.

As memórias explicam o carinho dos moradores pelo local, “Foi aqui que conheci meus amigos, vi meus filhos e netos crescerem e, por isso, sinto a responsabilidade de cuidar do lugar onde moro”, conta Belarmino.



Tempo de moradia

Dentro da população do Guará, apenas 53% moraram anteriormente em outra região administrativa.

A localização e tranquilidade do bairro foram os principais motivos para o aposentado, José Galdino, de 75 anos, voltar a morar no local. “Estive presente desde o início do Guará. Teve uma época que me mudei, mas acabei voltando e estou há anos 7 morando aqui”, conta Galdino, que se mudou novamente para o Guará com sua família em 2011.

É mais comum ver pessoas que se mudam para o Guará do que moradores que desejam mudar para outro bairro. Talvez por sua história, a região administrativa, desde as primeiras casas, se ergueu com a união da população e mantém essa relação até hoje.

“O guaraense acaba se fechando dentro do Guará mesmo, é difícil sair. Quando alguém vende um imóvel aqui é por dívida ou porque se separou, alguém faleceu, ou, geralmente, vende os imóveis daqui para comprar aqui novamente”, diz Hugo Leão, diretor comercial da Thaís Imobiliária.



Instrução

A região possui um índice de instrução relativamente alto. A maioria tem ensino superior completo. Em seguida, tem-se uma parcela grande de habitantes com ensino médio completo.

A maior parte da população não estuda (76,71%). Mas em relação ao nível de escolaridade, 29,29% possuem ensino superior completo



Trabalho e Rendimento

Considerando o público do Guará, 51% exerce alguma atividade remunerada. Já o restante está dividido entre aposentados, estudantes e desempregados. Além disso, a Região Administrativa possui uma baixa porcentagem de desemprego, que chega a 4%.

No quesito ocupação do público da região, tem-se destaque os setores de Administração Pública, Comércio e Serviços Gerais. Dentro da População em Idade Ativa – PIA quase 43% contribui para previdência pública ou privada. Por outro lado, 39% não contribuem. Mas, há os que trabalham, porém não contribuem, que formam 7%.

Apenas 27% dos moradores do Guará exercem suas atividades remuneradas dentro da região. A maioria tem seu trabalho no Plano Piloto. Já o grupo menor é dividido por funcionários que trabalham em outras regiões administrativas.

O Guará é um setor de classe média alta do Distrito Federal. Possui qualidade de vida e conforto aos moradores. A renda domiciliar da área chega a R$7.300,00, o equivalente a 9 salários mínimos. Enquanto a renda per capita dos moradores corresponde aproximadamente a R$2.600,00, ou seja, quase 3 salários mínimos.



Características dos Domicílios

Os moradores representam 48,31% da parcela que possui imóvel próprio quitado, e uma renda média de 5 a 10 salários mínimos (29,01%). Aliás, 46.267 dos domicílios urbanos encontram-se na região, representando uma média de 2,87 moradores por residência.

A maioria das quadras residenciais são habitações verticais, ou seja, apartamentos. Mas há quadras com residências horizontais (casas).
Atualmente, a DF Imóveis reúne 138 imóveis para aluguel, e 1.296 para venda no Guará.



Relação custo-benefício

Em uma outra matéria, o DF Imóveis também mostrou que o Guará se encontra entre os 4 bairros com o metro quadrado mais valorizado do DF, atrás apenas do Noroeste, Lago Norte e Cruzeiro, com o valor de R$ 5.118,00 por metro quadrado. No entanto, o aluguel de imóveis na região se torna um dos mais baratos, com o preço do metro quadrado dos imóveis a R$ 20,00 por metro.

“Mesmo em crise econômica, o Guará conseguiu manter os preços bem interessantes”, afirma Hugo Leão, diretor comercial da Thaís Imobiliária.

Assim, a procura por casas e apartamentos para compra é maior do que para aluguel, já que, segundo Leão, muitas pessoas optam morar na região por estarem próximas ao Plano Piloto, por um preço menor e, ainda, com opções de lazer e mais segurança.

“O Guará tem a melhor relação custo benefício de Brasília. Fica perto do Plano Piloto, e os preços são até 50% mais baratos”, e acrescenta, “Em relação a outras áreas como, por exemplo, Águas Claras, que está um pouco mais afastada, as pessoas preferem, às vezes, vir para o Guará, porque quem trabalha no Plano acaba pegando um pouco mais de trânsito”.

Com a grande demanda de casas e apartamentos para comprar, o metro quadrado se valoriza, enquanto o preço do metro quadrado para aluguel diminui pela procura menor. “Então, se você procura um determinado produto, aumenta o preço em detrimento ao outro. Não que ela seja menos vantajosa, só que as pessoas querem comprar imóveis para morar aqui”, explica o diretor comercial.



Educação

A estrutura educacional pública é composta por instituições que abrangem todos os níveis do ensino regular, ou seja, desde o maternal até o ensino médio.

A região possui um Jardim de Infância, 8 Escolas Classe, um Centro Interescolar de Línguas Estrangeiras, 8 Centros de Ensino Fundamental, 3 Centro Educacionais e um Centro de Ensino Médio.



Transporte

A região possui duas estações de metrô (Guará e Feira), além de 24 linhas de ônibus para outros locais do DF. No entanto, a pesquisa PDAD mostra que 62,55% dos habitantes utilizam automóvel para se locomover.



Segurança

Estão presentes na Região Administrativa o 13° Grupamento de Bombeiro Militar, a 4° Delegacia da Polícia Civil e o 4° Batalhão da Polícia Militar do Guará.



Saúde

Os principais centros públicos de saúde do Guará são:

  • Posto de Saúde Urbano Lúcio Costa
  • Centro de Saúde nº03
  • Centro de Saúde nº01
  • Hospital Regional do Guará – HRG

A região conta com várias clínicas particulares, hospitais, entre os espaços com foco em saúde.



Cultura e Lazer

Durante o último domingo de todo mês, há a Rota 156, no Guará 2, assim como o Eixão do Lazer, reúne atrações na Avenida Principal. Além disso, a Casa de Cultura, também no Guará 2, abriga a Biblioteca Pública do Guará e diversas programações para a comunidade.

A região também aspira arte em todos os locais, grafiteiros conhecidos na cidade hospedam seus ateliês e suas contribuições nos espaços do bairro. Toys, Omik e Yong, por exemplo, deixam seus grafittis e fazem sua história na cidade. E também, o Urbanos Observatório, coletivo que reúne projetos, eventos e empreendimentos que reforçam o protagonismo local na arte.

O Guará tem um índice de qualidade de vida elevado, e é possível observar isso nas ruas e quadras da cidades. Áreas verdes, como o Parque Ecológico do Guará, estão à disposição para os moradores praticarem atividades físicas com conforto.

Os pontos que mais atraem os moradores são a Feira do Guará e o Park Shopping, ambos com opções de vestuário e alimentação. Além disso, o shopping é famoso por suas opções de lazer, como o cinema Kinoplex.

Com uma ótima localização, próximo ao Plano Piloto, Taguatinga e o Aeroporto, o Guará se torna um dos protagonistas da qualidade de vida em Brasília. Há oportunidades para investir ou economizar. E, além do mais, é possível garantir conforto com um estilo de vida tranquilo, prático e seguro.

Além de encontrar o imóvel ideal, sem dúvidas, morar no Guará significa escolher onde iniciar sua história, ou melhor, mudá-la.

Morar no Guará tem chamou a atenção? Acesse o Portal DF Imóveis e conheça os imóveis disponíveis na região.

Referências:

2 Replies to “Morar no Guará é bom?”

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *