Morar no Plano Piloto é bom?

Morar no Plano Piloto é bom?

Saiba como é morar no Plano Piloto e conheça mais sobre esta cidade.

Plano Piloto é o centro de Brasília. Composta por uma área residencial e comercial, além da área verde da cidade, conhecida como Parque da Cidade. Todo o complexo foi espaço onde Juscelino Kubitschek estimou desenvolver a nova capital do Brasil, no fim da década de 50. O projeto da cidade foi criado por Lúcio Costa, além da participação de Oscar Niemeyer que desenhou os prédios que concentram o poder político do país.

O que você irá ver neste artigo


Caracterização da População Urbana

Em pesquisa da Companhia de Planejamento do Distrito Federal – CODEPLAN–, realizada em 2016, considerou que a população do Plano Piloto estimava-se em 220.393 habitantes.

Apesar de ter um gênero balanceado, a maior parte dos habitantes do Plano Piloto é representada pelas mulheres, com 53% e, do outro lado, a porção masculina fica com os 47% restantes.

Os pontos que se destacam entre os moradores de Brasília são a grande maioria (53%) possui entre 25 a 59 anos. Em seguida aparecem os idosos (maiores de 60 anos), com 23%. Logo após, encontram-se os jovens (15 a 24 anos), com 13%. Por fim, a menor parcela da população fica representada pelas crianças (0 a 14 anos) com 12%.

Nos aspectos de cor e raça, Plano Piloto tem em maioria brancos (68%); seguido de 29% que consideram-se pardos; quase 2% se manifestaram de pele negra e, também, com aproximadamente 2% se intitularam de cor amarela.

Os índices de estado civil/união conjugal na RA I apresentam uma predominância de pessoas casadas tanto no civil quanto no religioso (33%). A segunda maior parte é representada pelos solteiros (31%). E, por último, ficam os grupos menos representativos, como as pessoas em união estável, casados apenas no civil, viúvos, separados e divorciados (23%).

O Plano Piloto é composto por diversas religiões, crenças e fés. A religião que possui maior representatividade é a católica, passando da metade da população. Nos outros quase 40% encontram-se evangélicos, tanto pentecostais quanto tradicionais, e também há a parcela dos que segue a fé espirita.

A participação dos brasilienses em espaços religiosos é significativa. Quase 61% da população frequentam regularmente eventos e reuniões religiosas. Outros participam de forma eventual, totalizando 23% dos moradores do Plano Piloto. Enquanto, 16% do público da cidade não frequenta nenhuma igreja.

Com relação ao perfil das famílias residentes do Plano Piloto, aproximadamente 40% dos responsáveis pelas residências são donos da própria moradia. Desse número, grande parte são os filhos que respondem pelo imóvel, depois aparecem os cônjuges e por último, parentes da família.



Migração

No Plano Piloto foi registrado que a menor parte dos residentes nasceu no Distrito Federal, 37%. A outra parte são imigrantes (63%); ou seja, vieram de outros estados brasileiros para residirem no Plano Piloto. Deste total de migrantes, temos naturais dos quatro cantos do Brasil, fazendo do planalto central local de todas as naturalidades.

Plano Piloto tem um pouco de cada região brasileira, mas as maiores representações são de Minas Gerais, Rio de Janeiro, São Paulo e Goiás.

Após a construção de Brasília, a quantidade de moradores do Plano Piloto aumentou ao longo dos anos. O primeiro crescimento foi percebido na década de 60. A chegada de novos moradores foi ainda mais perceptível nos anos seguintes, na década de 70. Mas o número de residentes deu um grande salto nos anos 2000.

Vários motivos fizeram as pessoas largarem suas cidades-natal e mudarem para Brasília. Muitos vieram a procura de trabalho (31%) e alguns, ainda, vieram por terem seus trabalhos transferidos para o centro do Plano Piloto (8%). Mas a grande maioria dos moradores da capital do país veio para acompanhar seus parentes (52%).

Entre os moradores do Plano Piloto, a maior parte está vivendo na cidade há mais de 10 anos (mais de 65%). Mas, coincidentemente, existe uma grande parte que chegou recentemente e mora em Brasília pouco mais de um ano (quase 22%).

Interessante é saber que pouca gente abandonou a cidade, quase 75% permaneceu por aqui depois que se estabeleceu. Dos que saíram de Brasília, apenas contabiliza-se significantemente pessoas de outras regiões administrativas, como Taguatinga, Guará e Sobradinho.



Instrução

O Plano Piloto é uma região que possui pessoas com grande dedicação ao estudo, por isso possuem alto nível de escolaridade. Mais da metade dos habitantes têm o ensino superior completo, incluindo especialização, mestrado e doutorado.

Por ter uma população com alto índice de instrução, o Plano Piloto tem uma alta porcentagem de pessoas que já não estudam mais, chegando a quase 80%. As outras pessoas encontram-se matriculadas em instituições públicas (12%) ou particulares (8%).

O nível de escolaridade é um grande diferencial entre os moradores do Plano Piloto. Mais da metade das pessoas já completaram o ensino superior, incluindo especializações, mestrados e doutorados. Ainda assim, a segunda parcela representativa é composta por pessoas que chegaram a completar o ensino médio. Apenas uma pequena parte (menos de 10%) não completou o ensino fundamental.

Entre todos os alunos matriculados, tanto em escolas públicas e particulares do Plano Piloto, 98% estudam na própria região. Um dos motivos pode ser do fato de que as escolas estão dentro das quadras residenciais da cidade, facilitando o deslocamento.

Mesmo com o surgimento de cursos de idiomas, cursos profissionalizantes, pré-vestibulares e a demanda de concursos público da região, apenas 5% frequentam instituições que oferecem tais cursos.

O Plano Piloto é uma das regiões mais antenadas e conectadas devido aos maiores índices de pessoas com acesso a Internet (89%). Destes, a grande parcela acessam por computador de mesa, em casa (71%). Enquanto o restante utilizam os dispositivos móveis (17%). Contanto, quase 11% apontaram que não acessam a Internet.



Engajamento Social

Engajamento Social se trata da organização e participação da população da Região Administrativa do Plano Piloto em movimentos sociais. Os números não foram tão significativos quanto à presença dos moradores nessa categoria.

Segundo o tipo de influência ou participação social, apenas 6% dos moradores participam como membros de sindicatos ou associações existentes no Plano Piloto.

Quase que por completo, das famílias que possuem filhos matriculados no ensino público, não aproveitam os espaços das escolas para realizar atividades fora da sala de aula (99%). Dentro dessa parcela, a maioria (86%) desconhece projetos pedagógicos da escola onde os filhos estudam. Só um grupo menor (17%) disseram que participam de campanhas e reuniões escolares.  



Trabalho e Rendimento

Pela grande promoção de concursos públicos e sendo uma das principais regiões comerciais de Brasília, Plano Piloto tem em grande parte habitantes que exercem alguma atividade remunerada.

Para população com mais de 10 anos de idade do Plano Piloto, um pouco mais da metade pratica alguma atividade empregatícia (51%). Em segundo lugar, estão os aposentados (21%). Logo atrás, os habitantes que ainda são estudantes (14,15). Por último, a parcela que não tem nenhum emprego remunerado responde pelo índice mais baixo dessa categoria (5%).

Os setores mais escolhidos pelos moradores para trabalharem no Plano Piloto foram nos campos da Administração Pública, depois as atividades em Empresa Pública e no ramo do comércio.  

Entre o perfil dos assalariados do Plano Piloto a maioria têm carteira assinada. Em segundo plano aparecem os que trabalham no Serviço Público e Militar. Por fim, encontra-se uma participação ativa de autônomos.

Agora, sobre a participação dos trabalhadores com a contribuição previdenciária tem índices relevantes. Quase 56% da População em Idade Ativa – PIA que exerciam alguma atividade em carteira assinada contribuem para previdência pública. Por outro lado, um número razoável (39%) apontou os habitantes que não pagavam a parcela da contribuição previdenciária. Um número pequeno (4%) não fizeram nenhuma contribuição.

Plano Piloto é um dos grandes polos comerciais de Brasília, por isso que quase 90% dos trabalhadores exercem suas atividades na própria região.

Levando em consideração a totalidade da população do Plano Piloto, quase 80% dos moradores confirmam que utilizam o próprio veículo para se locomover ao trabalho. Em uma parcela mais baixa, próxima dos 10%, responderam que fazem o uso regular do transporte público.

Na região administrativa do Plano Piloto, a renda média domiciliar dos habitantes ultrapassa o montante de 15 salários mínimos (SM), o que equivale mais de R$13.000,00. Enquanto a renda per capita chegou no valor maior de R$5.500,00, representando um pouco mais de 6 (SM).

Ao observar a distribuição de renda domiciliar bruta mensal, conforme as classes de renda, e com base aos múltiplos de salários mínimos, encontra-se que as classes mais altas têm renda entre 10 a 20 salários mínimos (31%) da população do Plano Piloto. Logo em seguida pela classe com mais de 20 SM, 29% dos habitantes. Por outro ângulo, há domicílios com até um salário mínimo (3%).



Características dos Domicílios

O número de residências urbanas no Plano Piloto foram contabilizadas em 83.395. E, ao considerar que a população urbana foi de 220.393, chegou-se a média de moradores por domicílio urbano de 2,64 pessoas. Onde a maioria das residências da região são apartamentos e que os proprietários são donos do próprio imóvel.

Entre as espécies de domicílio, no Plano Piloto há somente construções domiciliares permanentes. Onde ganham a categorização de residências, espaço em que o indivíduo transfere alguns aspectos da sua vida para o local do imóvel.

Desde o seu projeto inicial, Plano Piloto sempre foi idealizada como uma cidade horizontal, com prédios e edifícios. Por esse motivos que aqui, há mais apartamentos (83%) do que casas (9%)

A situação da maior parte dos imóveis ocupados no Plano Piloto são quase de 60% quitados, atrás estão os domicílios alugados e por último os espaços funcionais, como: salas comerciais, kitnet e outros.  

Quase todos os imóveis residenciais do Plano Piloto demonstram-se seguir as exigências legais. A maior parte (92%) dos moradores do Plano Piloto possuem a documentação de escritura definitiva do imóvel onde residem.



Infraestrutura Domiciliar

Aqui encontram-se informações sobre as condições de habitabilidade, por exemplo: os atendimentos de serviços públicos de abastecimento de água, esgotamento sanitário e coleta de lixo.

Quase toda região residencial do Plano Piloto conta com o abastecimento de água. Uma mínima porcentagem, menor que 1%, ainda possui poço artesiano ou outros meios de abastecimento de água.  

O recebimento de energia elétrica atende, por completo, toda a região do Plano Piloto.

A região do Plano Piloto possui serviço de esgotamento sanitário por sua rede principal.  

Quanto a coleta de lixo, toda área urbana do Plano Piloto (99,42%) está coberta pelo serviço de limpeza urbana. Entretanto ainda há moradores que destinam o lixo para outros lugares, irregulares.

A infraestrutura é bem presente desde a composição do projeto de Lúcio Costa. Os apontamentos que surgiram com relação à infraestrutura urbana foram expressivos. Na área domiciliar do Plano Piloto, apontou-se a presença de asfaltamento das ruas, calçadas, meios-fios, iluminação pública e rede de água pluvial.

Entre o principal problema na cercania, apontado pela população, foi de entulho (2,43%) em algumas regiões residenciais. A segunda insatisfação, dita pelos moradores (1,58%) se deu pelas ruas esburacadas. E, por último, as áreas alagadas quando chove (1,37%). Outros problemas citados, mas não ultrapassam 1%.

Dentro dos espaços residenciais é possível encontrar  pequenos espaços de lazer e diversão para crianças e adultos. Há espaço arborizados (91%). Nessas áreas podem ser encontrados: jardins, parques, Pontos de Encontro Comunitário (PEC) e ciclovias.



Posse de Bens, Equipamentos e Serviços

As pesquisas socioeconômicas indicam que a renda domiciliar tem correlação com a posse de bens. Entre as residências da Região Administrativa do Plano Piloto, quase 90% possuem algum veículo na garagem. Vindo depois, em cada domicílios há, pelo menos, uma bicicleta em casa (35%). Com quase 5% dos moradores da região adquiriram motocicletas.

Dentre os principais meios de comunicação utilizados pelos moradores do Plano Piloto, os mais citados foram: Internet (92%); TV por assinatura (80%) e assinatura de jornais e revistas somam 23%.

Entre os equipamentos domésticos que obtiveram mais de 90% dentro das casas dos brasilienses estão: geladeira, fogão e máquina de lavar roupa. Logo abaixo está o aparelho de microondas (88%).  

Um dos itens mais altos, presente nas residências da Iº Região Administrativa do Distrito Federal, é o telefone fixo (76%). Enquanto, o telefone celular pós-pago está com a parcela de 64% dos moradores. Os telefones móveis com plano pré-pago estão com quase a metade do público que usa o celular (49%).

A aquisição de equipamentos tecnológicos cresceram. No Plano Piloto, 80% contam com notebook e 54% com computador de mesa. Dispositivos móveis como tablet e iPad apareceram em 32% dos domicílios. Além da televisão de tela plana, apresentar quase 34% de participação nas casas da região.

Na RA I, os serviços domésticos tem grande participação nas residências. Empregado(a) mensalista em atividade apresentou um quinto dos domicílios. Enquanto, como diarista, compõem pouco mais de 40% nas residências brasilienses.



Características do Responsável pelo Domicílio

Para conhecer o perfil dos proprietários ou responsáveis pela residência dentro do Plano Piloto houve a análise quantitativa por: sexo, faixa etária, cor e raça

Entre os responsáveis pelas residências dentro do Plano Piloto, está a representação de 72% do sexo masculino e 28% do sexo feminino.

A porcentagem pela faixa etária dos responsáveis dos domicílios no Plano Piloto concentrou-se da seguinte forma: 46% tem mais de 55 anos, seguido daqueles que têm de 46 a 55 anos, totalizando 19%. Os que têm entre 36 a 45 anos, 18%; e com até 25 anos, apontou 2%.

A grande maioria (68%) dos responsáveis declarou-se de cor e/ou raça branca. Os que se declararam de cor parda somam 28%, e preta 2%.

No centro de Brasília, na Região Administrativa do Plano Piloto, 96% dos responsáveis pelos domicílios não frequentam a escola. A parte que estudam (2%) está em instituições públicas.

Ao se tratar da escolaridade dos responsáveis pelos domicílios do Plano Piloto, a maior parte é composta por quem concluiu o ensino superior (73%) ou tem alguma especificação, mestrado ou doutorado. Aqueles que completaram ao ensino médio chegaram a marca de 16% dos responsáveis. Os que não chegaram até o fim do curso superior, apontaram 5%. E, 3% não terminaram o nível fundamental. Foi contabilizado, também, 0,20% de analfabetos.

A distribuição dos responsáveis do Plano Piloto, com relação a naturalidade se dá por: 15% dos proprietários das próprias residências são naturais de Brasília. Entre os imigrantes, estão da Região Sudeste (46%), logo atrás os nascidos na Região Nordeste (28%). E do Centro-Oeste, exceto do Distrito Federal, somam 10%.

Para saber a motivação que levou a mudança dos responsáveis da cidade de origem para o Plano Piloto, descobriu-se que a grande maioria foi pela oportunidade de trabalho que a região proporciona (43%). A segunda resposta mais popular foi acompanhar parentes que viriam para capital (33%) e, por fim, a transferência do local de trabalho (14%).

No Plano Piloto, a grande parte dos responsáveis pelos domicílios foi composta por trabalhadores remunerados (58%). Em segundo lugar por aposentados (35%). Os pensionistas representam a terceira posição (4%).

Os principais setores de atividade remunerada dos responsáveis pelos domicílios ocupados no Plano Piloto foram: Administração Pública Federal (29%), Empresa Pública Federal (16%) e, no ramo do comércio (14%).

Sobre a distribuição dos responsáveis pelos domicílios do Plano Piloto com relação a ocupação, quase 46% deles confirmaram a participação como empregados assalariados.  Dentro dessa porcentagem, quase 35% exerceram atividades no serviço público e militar. Os autônomos totalizaram, quase 14%.

Já entre os responsáveis pelos domicílios do Plano Piloto, 70% computam aqueles que contribuem para a previdência pública regularmente. Por outro lado, houve um grande percentual dos que não tiveram previdência pública (24%). Aqueles que trabalharam, mas não contribuem para a previdência completaram 4%.

A renda individual média mensal dos chefes de domicílio no Plano Piloto chegou no valor estimado de R$9.200,00. Quantia que pode ser representada por quase 11 salários mínimos.



Educação

Ensino Infantil

Entre algumas instituições públicas, para o ensino infantil do Plano Piloto, estão: Escola Classe 102 SUL, Escola Classe 106 NORTE, Escola Classe 111 SUL, Escola Classe 115 NORTE, Escola Classe 209 SUL, Escola Classe 403 NORTE, Escola Classe 410 SUL, Escola Classe 708 NORTE.

Enquanto na rede privada de ensino infantil do Plano Piloto, encontram-se as seguintes escolas: Pré escola e Creche Canarinho; Escola Maria Montessori, Pré escola, Creche e Anos iniciais; Sagrada Família Menino Deus, Pré escola, Creche e Anos iniciais; Internacional Brasil Suíça, Pré escola, Creche e Anos iniciais.

Ensino Fundamental

Para o ensino fundamental público na RA I temos as seguintes escolas: CEF Polivalente, CEF Gan, CEF Caseb, CEF 410 Norte, CEF 405 Sul, CEF 316 Norte, CEF 306 Norte, CEF 214 Sul, CEF 104 Norte, CEF 102 Norte, CEF 07 De Brasilia, CEF 05 De Brasilia, CEF 04 De Brasilia, CEF 03 De Brasilia, CEF 02 De Brasilia, CEF 01 Do Planalto, CEF 01 De Brasília.

Na rede particular para o ensino fundamental, o Plano Piloto dispões de algumas instituições, entre elas são: Americana De Brasília, Centro Educacional Leonardo Da Vinci, COC Brasília, Colégio Olimpo, Centro Educacional Sigma, Colégio Militar Dom Pedro II, Colégio Notre Dame, Colégio Alub.  

Ensino Médio

A lista de colégio do ensino médio público, é composta por: CEM Asa Norte – Cean, CEM Elefante Branco, CEM Paulo Freire, CEM Setor Leste, CEM Setor Oeste.

Enquanto as instituições de ensino médio particulares no Plano Piloto são representadas pelo: Centro Educacional Adventista Milton Afonso, Centro Educacional Maria Auxiliadora, Colégio Marista de Brasília Ensino Médio, Colégio Cor Jesu, Colégio Dom Bosco, Centro Educacional Juscelino Kubitschek, Colégio Madre Carmen Salles, Colégio Galois.

Ensino Superior

Plano Piloto possui uma grande variação de instituições privadas e públicas para o ensino superior, incluindo pós-graduação, mestrado e doutorado, além de institutos federais com cursos técnicos. As principais que atuam na capital são: Centro Universitário Euro Americano (Unieuro), Centro Universitário Instituto de Educação Superior de Brasília (IESB), Escola Técnica de Saúde de Brasília (ETESB), Senac Plano Piloto, Instituto Técnico de Educação de Brasília, Centro Universitário de Brasília, Universidade de Brasília (UnB), Universidade do Distrito Federal UDF, Instituto Federal de Brasília (IFB).



Transporte

O transporte público do DF é composto pelas empresas Urbi, Piracicabana, Pioneira, Marechal e São José. Cada uma delas cobrem determinada área de Brasília, ligando as regiões administrativas umas às outras.

Plano Piloto possui 400 km de ciclovia já concluídos. Parte da população deixam de enfrentar o trânsito diário para usarem a ciclovia.

O Metrô circula na área sul do Plano Piloto, contemplando toda a extensão da Asa Sul, desde a rodoviária do Plano Piloto com destino a Samambaia e Ceilândia, regiões administrativas com os maiores números de habitantes de Brasília.

O uso de aplicativos de mobilidade urbana são bastantes utilizados por quem passa por Brasília. Além dos pontos de táxis, que estão espalhados na cidade.



Segurança

Os últimos índices de criminalidade reduziram 46% de 2016 para 2017. De acordo com pesquisa da polícia militar apresentada ao Jornal DF1 local, em fevereiro de 2017.  

Os crimes realizados contra pedestres aumentaram menos de 1% entre 2016 e 2017

Com relação aos estabelecimentos comercial, houve uma queda de 42% aos crimes comerciais.  Conforme pesquisa da polícia militar apresentada ao Jornal DF1 local, em fevereiro de 2017

Entres os principais pontos de atendimento de segurança pública do Plano Piloto, estão: Batalhão de Policiamento de Choque, Batalhão de Policiamento com Cães, Complexo da Polícia Civil do Distrito Federal (PCDF), 1ª Delegacia de Polícia, 2ª Delegacia de Polícia, 5ª Delegacia de Polícia, Delegacia da Criança e do Adolescente, Delegacia Esp. de Atendimento (DEAM), Quartel do Comando Geral CBMDF, 1º Grupamento de Bombeiro Militar, 4º Grupamento de Bombeiro Militar, 15º Grupamento de Bombeiro Militar, Detran, Na Hora.



Saúde

Alguns dos postos de saúde público e hospitais, públicos e privados, do Plano Piloto são representados por: Hospital de Base de Brasília, Hospital Regional da Asa Norte (HRAN), Hospital Anchieta, Hospital do Coração, Hospital Brasília, Hospital da Clínicas de Brasília, Hospital Daher, Hospital São Lucas, Hospital Santa Lúcia, Hospital Santa Luzia, Hospital Santa Helena, Hospital Prontonorte, Centro de Saúde de Brasília Nº 11, Centro de Saúde de Brasília Nº 12, Centro de Saúde de Brasília Nº 13, Centro de saúde de Brasília Nº 15, Hospital Materno Infantil de Brasília, Adolescentro, Hospital Dia da Asa Sul, Centro de Saúde de Brasília nº 07, Centro de Saúde de Brasília nº 08.



Cultura e Lazer

Brasília possui uma variedade de locais de entretenimento, diversão, lazer e cultura para todos os tipos de gostos.

Entre os principais centros comerciais do Plano Piloto, estão: Conjunto Nacional, Park Shopping, Brasília Shopping, Liberty Mall, Iguatemi Shopping, Boulevard Shopping, Terraço Shopping e Pier 21.

Brasília tem a disposição o Parque da Cidade, área verde da cidade que é uma extensão da capital, onde é o principal ponto de lazer para os brasilienses. Conta com pista para corrida, andar de bicicleta e patinação. Conta, também, com quadras poliesportivas liberadas para quem quiser se divertir para praticar algum esporte. Espaço arborizado, com espaços para a prática de exercícios físicos ao ar livre. Contém, espaço com churrasqueira, onde é possível reunir a família em um lugar mais tranquilo. Dentro do parque há o parquinho Ana Lídia, uma local especial com uma estrutura para as crianças aproveitarem bastante. Para os adolescentes, um parque de diversões também tem espaço no Parque da Cidade, são diversos brinquedos para quem gosta de se divertir. A área verde do parque também tem a capacidade de receber grandes shows e eventos.

As noites de Brasília são cheias de variedades para qualquer estilo musical, ou qualquer outro programas que se queira fazer com os amigos. Casas de show, boates, karaokês, bares, restaurantes com música ao vivo, pizzarias, cinema ao ar livre, não há nada que falte para uma sexta-feira à noite.

Já na programação cultural, temos o CCBB como principal centro cultural de Brasília, onde recebe exposições de diferentes temas. Outro local é Museu de Brasília que também recebe eventos nacionais e internacionai. Além de outros espaços, como o Espaço Cultural Renato Russo, Caixa Cultural, Centro de Convenções Ulisses Guimarães, bibliotecas, memoriais, estão sempre com atividades para receber o público.

Sobre cinema, para aqueles que estão cansados de assistir filmes em poltronas, ambientes ar-condicionados. É possível assistir filmes à moda antiga, dentro do carro, em um grande espaço aberto, o Cine Drive-in (que ainda se encontra ativo no Plano Piloto). Para quem aprecia produções brasileiras, filmes independentes nacionais ou estrangeiros o Cine Brasília traz produções não-hollywoodiano para a capital, além de receber festival e eventos famosos voltados ao cinema.  



Conclusão

Plano Piloto é a cidade-capital onde todos os outros estados brasileiros estão no mesmo lugar. Cheia de diversidade, tem espaço para família e amigos. Lugares mais agitados, outros mais calmos. Programações para adultos, crianças e adolescentes. Qualidade de vida elevada, saúde, transporte, segurança e educação em atividade constante.

Plano Piloto é uma pequena cidade em área, mas enorme no estilo arquitetônico, no quesito modernidade e história por sua natureza. Além de ser o local totalmente diferente, criativa desde a sua criação. É aqui, no planalto central, onde podemos olhar para o céu e encontrar o nosso mar azul.

Plano Piloto está no coração do Brasil, cheia que beleza e história. Quem é vive aqui não quer mais sair, e quem conhece tem vontade de ficar. Nada melhor do que conhecer Plano Piloto por quem sabe tudo de Brasília. Aqui no Portal DF Imóveis.

Referência:

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *